sábado, 15 de março de 2014

Pra que pensar na morte

Olá a todos

No meio dessa correria toda, resolvi dar uma parada e pensar um pouco na vida ou no fim dela. Esta semana me deparei com vários aspectos do fim da vida que me fizeram refletir muito sobre o tema. Primeiro, não é um assunto que as pessoas gostam de falar e conversar, nem eu gosto muito, mas quem gosta não é? Nós fugimos ou tentamos fugir da morte, mas o fato é que nunca saberemos quando vai chegar a nossa hora, talvez seja melhor assim. Se soubermos o dia em que vamos morrer, podemos fazer de tudo para evitar esse dia e acabarmos morrendo mais rápido.

Esta semana foi de certa comoção no estágio por conta de uma homenagem no jornal institucional a um funcionário falecido recentemente. Ele era muito querido e o legado que ele deixou foi tão significativo que foi difícil para algumas pessoas falar dele. De qualquer maneira, ele não está mais aqui para receber a homenagem, talvez isso deveria ter sido feito com ele ainda em vida, mas sua trajetória foi interrompida na metade da vida no auge dos seus 52 anos.

Um ator também se foi esta semana, sua numerosa família estava dando entrevistas como de praxe nessas horas, todos estavam lá pára vê-la dizer que ele não estava mais lá. A doença tinha levado todo o seu ser, sua consciência, seu agir, seu coração foi o último a parar. Nosso corpo luta ferozmente contra o fim, luta até não poder mais, é uma guerra que não pode ser vencida, mesmo assim a vida pode ser prolongada por anos e anos a fio com muito desgaste, força e determinação. As vezes, a vida vence, mas, no geral, as lembranças é que contarão a riqueza de nossa história aqui.

Personagem "Puro Osso", e a foice sempre presente.
Confesso que tenho medo dela, talvez seja a insegurança de ver a morte passar perto de você ou de alguém que conheço e eu não poder fazer nada. Talvez seja a nossa incapacidade humana com o que há de mais duro em nossa existência. Podemos ir à lua, podemos ir ao espaço, podemos construir e levantar cidades, mas não podemos vencer a morte. Sempre quando fico sabendo que alguém próximo está muito doente, fico chateado. Normal até, mas, o que chateia mais é a possibilidade de nunca mais ver a pessoa, de nunca mais participar e tê-la em nosso convívio, ainda que esta pessoa seja um pouco distante de mim. 

Minha avó, numa certa idade dela, pensava muito na morte, falava dela todos os dias, praticamente. No auge dos seus 80 anos, sabia que se aproximava do fim e tinha medo disso. Eu via aquela que seria a pessoa mais corajosa que já conheci em toda minha vida tremer de medo do fim de sua existência. Ela sabia que essa hora viria, mas não queria ir. Só quando ficava com raiva e achava que estava dando trabalho para a gente, aí ela falava que tinha que morrer logo, mas isso nunca acontecia. Nos deixou quando nós menos esperávamos e é uma das pessoas que mais sinto falta. Penso nela sempre, porque foi graças a ela que sou a pessoa que sou hoje, cheio de virtudes e defeitos.



Todas essas coisas nos alertam para a finitude de nossa vida e em como precisamos dar valor a cada segundo em que estamos por aqui. Eu tenho medo da morte, não pela morte em si que sei que virá para todos, mas medo da dor, do sofrimento meu e dos amigos e parentes. Sei que todo mundo tem isso, mas quando se é jovem, você não pensa nisso, achamos que somos infinitos como todos os nossos sonhos e planos. Se nos apaixonamos é para sempre, se odiamos é para sempre, mas nunca pensamos que poderíamos não estar mais por aqui.

Mas a gente cresce e nossos pensamentos mais obscuros tomam forma e passamos a temer pelas pessoas e pelas coisas. Vivemos sempre para um amanhã que nunca vem, mas continuamos fazendo isso todos os dias. Melhor assim, somos condicionados a não pensar na morte, é melhor assim. É melhor que seja sempre assim. Ela não gosta de avisos, só o último. Se ela fosse aquela imagem dos gibis da turma da Mônica, com a foice na mão, talvez não seria tão assustadora. Até porque já estamos acostumados com esta imagem. Ainda mais se ela vier assim sorridente e bem humorada como ela é nos quadrinhos. Poderia ser como o personagem Puro Osso das Aventuras de Billy e Mandy também rs. Seria hilário, mas não é. Gostaria até de saber o porquê dela ser personificada sempre com esta imagem.  

Se a morte fosse assim, não seria tão assustadora não é?
Nos resta e a cada ser humano, orar, acreditar que Deus sempre tem o melhor para a gente, não importando o que aconteça. E também que Deus olhe para as pessoas próximas que estão enfermas. Sabendo que Deus tem o controle da vida e da morte e sabendo que sempre tem o melhor para nós. Pra quê pensar na morte se estamos cheios de vida, alguns vão dizer. Só sei que é uma forma de externar algumas preocupações que estão aqui dentro

Grande abraço
Fernando

 

38 comentários:

  1. Olá, bom dia.
    Às vezes, o astral está lá embaixo. Finja que não é com você. Não se deixe cair. E se cair. Levante. Não se deixe vencer, nem pela tristeza e nem pela Saudade. Os laços afetivos hoje em dia, estam sempre mais distantes. E os amigos. Ora, os amigos. Que todos nós, tenhamos um dia de Domingo, bom. Agradável. Bom dia. Bom dia de domingo.

    ResponderExcluir
  2. É impossível não pensar na morte, pode até evitar que não tem medo, mas todos são desse jeito, é apavorante mesmo. Mas viver, de qualquer jeito, também é.
    Adorei esse texto.
    Um abraço,
    terradefagulhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Essa semana eu escrevi uma coisa sobre isso aqui: http://nadademais1.blogspot.com.br/2014/03/e-se-soubessemos.html

    Sabe o que acho que deve ser foda, quando os seus amigos, parentes e afins comecem a morrer. E ir ao velório se torna mais frequente.

    ResponderExcluir
  4. Falar de morte nunca é bom,mas pensar nela tb não.
    Portanto vivamos um dia de cada vez, e que Deus nos abençoe sempre mais =)

    ResponderExcluir
  5. Puxa adorei seu texto, só li fatos nele >< gostei do blog Fernu, rsrs
    Abraços ~ www.panda-blogueiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde amigo Fernu!
    O medo da morte é o resultado de um tabu. A consciência dela nos ensina a desfrutar a vida com mais intensidade e, ao mesmo tempo, de maneira menos dramática. Mais como podemos ter essa consciência, se é difícil para algumas pessoas, praticar o desapego? Para mim, por exemplo, é complicado. Sou um cara que me apego a família, e as pessoas que me fazem bem. Mas se encararmos com naturalidade o fato de que somos mortais, valorizaremos muito mais cada momento da vida. Quando encaramos a morte como uma transformação e não como um fim, o medo generalizado dela perde o seu poder sobre nós, e a energia vital, até então bloqueada pelo medo, é liberada, gerando disponibilidade e alegria de viver.

    Um grande abraço,
    Fique na paz,
    Dan.
    http://gagopoetico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá, Fernando, estou retribuindo a sua visita! Gostei muito do texto, não é um assunto que as pessoas gostam de falar sem levantar qualquer tipo de tristeza e melancolia. Também queria que a morte fosse como é nos quadrinhos, mas, na verdade, não são as suas características físicas que mais nos assustam, não é? É o que ou quem você vai deixar quando partir :/
    Grande abraço e tenha um excelente dia!
    www.bibliophiliarium.com

    ResponderExcluir
  8. Penso na morte como algo natural e inevitável. Confesso que já tive medo dela, hoje, não tenho mais. Só é vivo o que se pode morrer, o que é um paradoxo incrível. O importante é aproveitar ao máximo cada respiração.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista

    ResponderExcluir
  9. A morte é sempre um tema aterrador, é sempre algo melindroso. Pessoalmente, acredito a vida deve ser vivida ao máximo para quando chegar o nosso momento tudo ter sido aproveitado ao máximo!

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  10. Bah, Fernando, eu penso bastante na morte, no que vem depois, se é que vem algo depois. É um tema que dá uma tremenda aflição.

    Abraço.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oi, Fernando.

    De fato não costumamos pensar na morte, mas eu fico pensando nisso ás vezes de como seria ficar sem meus pais, dai eu gripo comigo mesma, para parar de besteiras e que eles ainda viraram, mas é algo que fica aqui, mas penso que é porque já perdi um irmão dai acontece este tipo de coisas.

    Parabéns pelo texto!

    Beijos
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. é sempre um tema assustador, no qual evitamos pensar.. mas por vezes penso nisso! espero que esteja muito muiitooo longe :)

    ResponderExcluir
  13. é sempre um tema assustador, no qual evitamos pensar.. mas por vezes penso nisso! espero que esteja muito muiitooo longe :)

    ResponderExcluir
  14. Ola Fe,
    Esse tema pra mim não assusta mais. Meu pai morreu quando eu tinha 15 anos e de la pra cá eu vi e presenciei muitas mortes: avós avôs, tio e ate meu irmão.
    Hoje tenho certeza que chegamos no mundo sem hora assim como saímos dele do mesmo jeito.
    Viemos com umA missão e quando ela acaba por aqui continua com nosso poder superior.

    estamos aqui de passagem por isso devemos aproveitar porque nunca sabemos a hora de ir.

    beijos meu amigo

    ResponderExcluir
  15. Como se diz o ditado "Pra morrer basta está vivo" e a morte sempre vem quando ninguem espera ela :/
    Clique aqui e concorra a ganhar qualquer produto da loja Sammy Dress no valor de até 15 dólares!
    Beijinhos
    You Tube
    Instagram
    Facebook do blog
    conversando-com-a-lua.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Nunca tive esse lance típico da juventude, de se achar infinito, de se achar invencível. A morte é um dos meus assuntos favoritos (incomum, não é) e penso nela quase todo dia. Posso dizer que sou uma fã de seu trabalho.
    Mas como todo mortal, tenho medo dela. Não do que vai ficar ou do legado que deixarei, mas tenho medo da morte em si. Esse lance de não saber o que tem depois. Cara, isso me mata. kkkkkkk me mata. Irônico, não é?

    ResponderExcluir
  17. Olá Fernando.Como vai?
    Belo assunto este, hein.

    Eu falo em qualquer assunto sem a menor neura. Mas so tem um grande pânico que a morte me traz: a perda. Eu nao tenho medo do que ela possa me causar quando chegar a minha hora. Eu tenho medo do que ela me causa quando chega a hora das pessoas que amo.
    Sei que é um processo e faz parte da vida mas ainda nao consigo suportar bem, isso.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  18. Pensar no fim nos faz refletir se estamos vivendo nossas vidas como se fosse o ultimo dia. E não digo de viajar o mundo e viver aventuras, mas sim não estar em falta com quem amamos e deixar valores e lembranças boas a todos ao nosso redor.

    ResponderExcluir
  19. Eu acredito em Deus , e prefiro nem ficar pensando na morte ,kkkk
    Gostaria de seguir mas o blogger não deixa estou com problemas.
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. A morte faz parte da vida, porque a vida é feita de dualidades (bom/ruim, quente/frio, começo/fim, morte/vida) e eu acho que as pessoas deveriam falar mais sobre o assunto, porque faz parte da nossa trajetória e é inevitável. Tudo que começa tem um fim. É claro que eu tenho medo de não existir mais, de ser apenas uma lembrança, mas a verdade é que eu não sei... pode ser que a morte seja só mais uma etapa da nossa vida, de qualquer forma, quando alguma coisa é desconhecida pela gente, temos medo, isso é normal.

    http://gotinhasesperanca.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Amigo para que pensar por que sabemos que um dia vamos passar por ela o importante é viver. Ótimo texto
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
    Canal de youtube: http://www.youtube.com/NekitaReis

    ResponderExcluir
  22. Deus colocou o desejo pelo eternidade no coração do homem, como está escrito em Eclesiastes.

    Sempre será incomodo pensar na morte ou presenciá-la.

    Mas a um conforto, para os que creem, em meio a este incomodo: O Deus fiel nos receberá em sua glória.

    Beijos, G.R ♥
    http://gabriellyrosa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Acho que por ser um assunto que causa, na maioria das vezes, tristezas e lembranças, começa a ser um assunto meio que "proibido" para ser comentado. Muitas vezes por causar tristezas e trazer lembranças de pessoas que marcaram a nossa vida e etc., mas é impossível não pensar nem que seja uma vez sobre isso. Pois bem, é como o meu pai diz que "medo a gente tem que ter é dos vivos e não dos mortos", afinal os vivos podem acabar com a vida de qualquer um né? Por isso que ainda não defini ainda se tenho medo ou receio de pensar ou falar em morte.

    Bitocas!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  24. Nice pics! Love these styles! They all look genius!
    Thanks for your sharing and posting!
    Have a nice day!


    http://www.aekk.com

    ResponderExcluir
  25. Nice pics! Love these styles! They all look genius!
    Thanks for your sharing and posting!
    Have a nice day!


    http://www.aekk.com

    ResponderExcluir
  26. Eu sei como é o sentimento.Você vê todas essas pessoas que nem conheço sofrendo e acaba sofrendo também pela própria vida.É o quê disse, vamos aproveitar a vida ao último :) :)

    beeeijos ^^
    http://borboletametamorfoseando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  28. Apesar de querer evitar pensar sobre este assunto, é impossuível... Quando eu caio na real que um dia eu irei morrer, ou perder alguém especial, eu sinto muito medo. Por isso que eu acho, devemos aproveitar o tempo que nos restas e da valor para que realmente nos ama, pois não sabemos o dia de amanhã e poderá ser tarde de mais.

    ResponderExcluir
  29. Oie,
    então que profundo teu post.
    A morte e muitas pessoas tem medo dessa realidade, dessa certeza que temos nessa vida, irônico isso.
    Eu particularmente não tenho medo, é mais que triste quando perdemos nossos entre querido... mas fica os bons momentos, pois sei que logo vai ser minha vez.
    Por isso temos que viver da melhor forma que achamos, só temos uma vida, nos apegar em Deus, e ser um ser humano bom
    Beliscões da Máh ♥
    Blog |Instagram

    ResponderExcluir
  30. Não gosto de pensar na morte !

    http://sonhando-porai.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Oi Fernando

    Assino embaixo do seu texto. É difícil ver pessoas que amamos, ou conhecemos morrerem. É difícil pensar que logo também não estaremos aqui.
    Não sabemos o que vem depois, não temos como ter certeza. Apenas uma fé enorme em Deus.
    Acredito que estamos aqui para aprender algo, talvez para num milésimo de segundo nossos olhos se cruzarem com os olhos de alguém que a nossa alma reconheça.
    Talvez para respirarmos esse ar... Não sei.
    A morte é torturante e sufocante. Mas nós ocidentais nos negarmos a pensar nela é um erro. Guardamos a vida para depois sem pensar que talvez não haja depois para nós.
    Mas não se pertube com isso. Apenas dê o melhor de si hoje e seja alguém melhor que ontem. Um dia o universo vai nos pedir de volta à Terra e eu gostarei de ser alguém melhor...

    Beijos

    www.reticenciando.com

    ResponderExcluir
  32. Tem toda a razão, Fernando: as pessoas não gostam de falar da morte.
    Lendo esta sua óptima crónica me lembrei do livro de José Saramago (penso que você deve conhecer) que se chama “As intermitências da morte”.
    Neste romance ele começa por retratar uma sociedade me que a morte foi proibida de exercer as suas funções – logo, ninguém morria. Os problemas que surgiram por esse facto foram aterradores! Com as pessoas a viverem eternamente… você pode imaginar. Numa segunda parte, se assim podemos dizer, há uma reviravolta, e aí há a morte a querer acabar com uma pessoa, e a não conseguir fazê-lo.
    Sou grande fã de José Saramago, e achei este livro interessantíssimo exactamente pelo tema que aborda.
    De facto, se as pessoas soubessem o dia em que iriam morrer, o mais provável seria morrerem antes. A Mãe Natureza sabe o que faz…
    Parabéns. Gostei muito da sua explanação.
    Beijinhos
    PS – Há novo post na minha «CASA». Aguardo a sua opinião.

    ResponderExcluir
  33. É um assunto bem delicado e bem discutível né? impossível não pensar sobre e impossível não sentir um medinho as vezes.. mas o real da vida é saber viver e deixar essas coisas de lado, que seriam fúteis se formos pensar em tão pouco tempo que nós tempos, pois os dias passam rápidos demais né? adorei o texto.. voltei a postar! beijo <3

    ResponderExcluir
  34. Passando para desejar um bom final de semana desde já :D Quando tiver posts novos avise viu! ^_^

    ResponderExcluir
  35. Eu já tive muito medo da morte. Confesso que ainda tenho mais medo em perder as pessoas que eu amo do que pensar em mim mesma. Talvez a minha fé na continuação da vida, me ajude pensar de forma mais leve sobre o assunto. Mas, em resumo, eu acho que devemos aproveitar a vida e não pensar quando vai acontecer isso. É algo inevitável. Viver é a nossa função. Que deixemos um legado legal. Beijos.

    ResponderExcluir
  36. Acho que o meu maior medo é o da morte. Já tive problemas bem sérios devido a esse medo desenfreado.
    hoje em dia tento relevar, pensar pouco nisso... me sentir distante desse assunto.
    Talvez seja fuga da realidade, mas me é necessário.

    beijo

    ResponderExcluir
  37. Eu passo a vida a refletir sobre isso...

    ResponderExcluir
  38. Eu sempre penso que qd viemos pra esse mundo ninguém nos avisou, simplesmente chegamos aqui.Talvez se tivessem nos dito que viríamos pra um lugar onde tem doença, violência, tragédias, não iríamos querer mas agora que estamos aqui não queremos sair pq sempre existe o lado bom da coisa. Então, só podemos mesmo confiar em Deus que mesmo não sabendo ao certo como ou pra onde iremos novamente, estaremos seguros com Ele, só depende de nossos atos aqui rs... Querido, gostei do seu blog e to seguindo, se puder me faz uma visita e segue tb, bjus!
    talkingabout-reb.blogspot.com

    ResponderExcluir